16 abril, 2011

Projeção

Nunca houve e nunca haverá, absolutamente, nada exterior a você. A realidade externa é projeção da nossa realidade interna. Tanto as experiências positivas quanto as negativas que vivenciamos são resultados de nossos sentimentos e pensamentos que habitam em nós.

Se os outros nos tratam de certa maneira negativa é porque nos tratamos assim. E se tratamos a nós mesmos assim, ainda não nos perdoamos, e por conseqüência, acabamos por tratar os outros do mesmo jeito.

Porque o tempo todo estamos manifestando e irradiando o que está dentro de nós. Somos luz, somos energia. Emitimos ondas eletromagnéticas.

Expressamo-nos basicamente através de quatro corpos de diferentes vibrações: físico, emocional, mental e espiritual. Primeiro, eu sinto “emocional”, depois, vejo projetado “físico”, em seguida, analiso “mental” e finalmente, melhoro “espiritual”. É assim que podemos perceber o que está oculto em nós.

A onda-energia é projetada para fora e por sintonia ela retorna para nós. Porque quando a criamos ainda permanecemos ligados a ela. Ela se mantém viva em nosso campo, e assim, atraímos as experiências. Esta é a lei da atração. Tudo que enviamos ao universo retorna para nós mesmos na mesma intensidade. Pode-se levar algum tempo, mas o que você enviou acaba voltando. Se tiveres antes a consciência, a conexão externa é cortada e a experiência dolorosa pode ser evitada.

Portanto, se você anseia por mudanças, comece a fazer algo por você e pelas pessoas. Sem querer mudá-las. Porque quando você faz algo por alguém, na verdade, você está fazendo por ti mesmo.

Precisamos dos outros, mas não dependemos de ninguém.
Muita Luz para todos!

09 março, 2011

Os Quatro Elementos

Tenho percebido muito claramente em minha caminhada espiritual que os 4 elementos da natureza são a base para nosso equilíbrio e harmonia. Equilibrar os 4 elementos em nosso corpo e nossa alma é fundamental para que o espírito, energia pura e limpa, encontre um veículo pronto e adequado para se manifestar na matéria. Então, vamos entender um pouco mais do que representa cada um deles, através deste texto muito bem elaborado pelo terapeuta César Suziganm.


“A influência da NATUREZA sobre nós é muito maior do que você imagina, e o distanciamento dela ou a pouca consciência que você tenha de alguns processos pode lhe trazer alguns incômodos físicos, mentais e emocionais que nenhum tratamento consegue explicar e resolver.


O que você tem que lembrar é que fazemos parte da NATUREZA...é só se olhar no espelho, somos como a maioria dos bichos...peludinhos, instintivos...e todos os fenômenos que acontecem lá fora, também acontecem dentro de cada um de nós. Por exemplo, a manifestação dos 4 ELEMENTOS na NATUREZA (fogo, terra, água e ar).


Uma semente necessita de terra, água, ar e luz solar (fogo) para se manifestar e florescer. Você funciona da mesma forma, ou seja, necessita estar equilibrado com os 4 elementos para seu temperamento reagir de forma plena e equilibrada. Mas... e se algum dos elementos - Fogo, Terra, Água ou Ar – estiver em falta ou em excesso no seu corpo?


Dou muitos exemplos em minhas palestras, e tentarei agora transcrever estes exemplos, vou falar dos extremos - falta ou excesso de cada elemento.


FOGO (VONTADE)


Excesso de FOGO: a pessoa que tem excesso do Elemento FOGO é inquieta, agitada, tende à excitação constante, não consegue parar nos lugares por muito tempo, é colérica. É aquele que faz vários cursos e projetos, mas não termina nenhum, atende ao telefone e fala com o colega do lado ao mesmo tempo em que quer fazer uma conta na calculadora; é aquela visita que quando vai embora da sua casa, você sente um alívio porque acha que passou um furacão por lá. É aquele sócio que todo mundo sonha, tem várias idéias e grande capacidade de liderança, muito entusiasmo, mas no meio do caminho já te largou e começou outro negócio, nunca se fixa aos grupos que lidera. São, muitas vezes, dispersas, por estarem sempre procurando coisas novas.


No corpo físico: sofre de hipertensão constante, libidinoso e nervoso. Apresenta problemas de calcificação nas juntas ósseas, pedras na vesícula, nos rins e até no fígado.


Falta de FOGO: a pessoa com falta de Elemento FOGO tem depressão, sente frio, é aquele que aperta sua mão sem vontade, com a mão mole; sabe aquele parente que vai numa festa da família, senta na ponta da mesa, mas ninguém percebe que ele está lá desde o início da festa? Não tem força para nada, é apático, sente preguiça, não tem entusiasmo, não acredita na sua força pessoal porque não consegue entrar em contato com o seu guerreiro interior, tendência à covardia (enfrentar problemas). Nunca se arrisca no desconhecido.


No corpo físico: osteoporose, dentes fracos, falta de circulação nos extremos do corpo (dormências), frio constante, falta de apetite sexual e anemia.


TERRA (CONCRETIZAÇÃO)


Excesso de TERRA: a pessoa que tem excesso do Elemento TERRA vive através das regras, precisa delas, é o “São Tomé”, só acredita vendo. É ligado na matéria, tende a ser apegado, ambicioso e materialista. Tem tudo muito organizado financeiramente, não dorme sem antes dar uma olhadela na conta bancária através do “home banking”. É perseguido por um medo constante de perder tudo, é aquele que acha que tem que trabalhar exaustivamente a vida toda senão ficará pobre.


No corpo físico: forte e resistente, possui um corpo contraído e musculoso podendo produzir câimbras. Nunca relaxa, e à noite para dormir necessita de apelos externos (televisão ligada para dormir, entre outros).


Falta de TERRA: não empreste dinheiro para uma pessoa com falta do Elemento TERRA, não é que seja desonesta, mas não consegue administrar suas dívidas assim tão facilmente; está sempre cobrindo um buraco financeiro e fazendo outro, não se organiza, não realiza as coisas, não tem retorno de nada (financeiro, emocional, familiar e social). Não sabe cobrar pelo trabalho realizado. Tende a ser desapegado da matéria, sem ambição pessoal, inseguro e não se gosta fisicamente. Inércia e acomodação são características chave.


No corpo físico: franzino, musculatura flácida, constantes quedas de resistência (vive gripado). Metabolismo lento.


ÁGUA (FLUIDEZ)


Excesso de ÁGUA: a pessoa que tem excesso do Elemento ÁGUA é extremamente emotiva, chora demais, faz chantagem emocional, “engravida” dos problemas dos outros, não sabe discernir o momento de parar de ajudar os outros. É matriarcal e protetor em excesso, mas também tem muita flexibilidade, o que chamamos de jogo de cintura, porém com o excesso do elemento, fica como a água na natureza, ou seja, toma a forma do lugar, do ambiente e das circunstâncias em que está, tendo muita dificuldade de fazer valer sua vontade.


No corpo físico: uma necessidade constante de comer, o que pode gerar obesidade. Problemas digestivos e circulatórios. Hipocondria e retenção hídrica. Os intestinos incham e ficam flácidos, provocando a prisão de ventre.


Falta de ÁGUA: quem tem falta do Elemento ÁGUA é literalmente uma pessoa “seca”, inflexível, o famoso “cabeça dura” que nunca consegue se adaptar a idéia dos outros, é o dono da verdade. São pessoas que necessitam de regras para se sentirem seguros (militares, síndicos), qualquer imprevisto no seu planejamento o torna improdutivo.


No corpo físico: problemas no funcionamento do Sistema Nervoso Central (hipocondria).


AR (DISCERNIMENTO)


Excesso de AR: uma pessoa que tem excesso do Elemento AR pensa demais, não consegue dormir por ficar pensando em possíveis problemas e soluções que muitas vezes não justificam, é “viajandão”, está sempre distraído, tenta falar com a mesma pressa que pensa, sonhador, intelectual ou cheio de devaneios, sabe aquele tipo esotérico? É bom na conversa, como entende tudo muito rápido, tem preguiça de ouvir explicações longas.


No corpo físico: geralmente apresentam problemas nos nervos e glândulas (enquanto órgãos). Dificuldade de relaxar por hiper-atividade mental, insônia, esgotamento que gera impaciência, rinite, sinusite, dor de cabeça constante, acima dos olhos.


Falta de AR: quem tem falta do Elemento AR nunca consegue entender nada, desligado, sem discernimento, memória confusa, não consegue gravar informações com clareza, sempre se engana ao expor um tema. É lógico que nunca se interessa em aprender nada novo, principalmente informações intelectuais ou filosóficas.

Muitas crianças com falta deste elemento são taxadas de dislexas e incapacitadas de aprendizado na escola, mas na maioria das vezes possui múltiplas inteligências e capacidades em outras áreas.


No corpo físico: problemas nos nervos e glândulas (enquanto órgãos).


Enfim, esteja sempre em harmonia com os elementos da NATUREZA, mas... principalmente esteja em harmonia com A SUA NATUREZA INTERNA.”

18 fevereiro, 2011

A Arte da Convivência

Retorno com alguns textos interessantes e escritos pelo terapeuta César Suziganm. Uma ótima leitura para vocês!


“Não nascemos para vivermos sozinhos e isolados, pois não somos totalmente auto-suficientes. É por isso que vivemos em uma “sociedade” - uma palavra que também significa coletividade, associação, companhia... Temos inevitavelmente que conviver com pessoas, situações, estruturas e sistemas, mas que nem sempre são compatíveis com nossas verdades e necessidades. Isso gera muitas vezes frustrações, insatisfações e desgastes.


Não podemos esquecer que cada pessoa é única, tem sua personalidade, o seu temperamento, uma maneira peculiar de agir em cada situação, mas conseqüentemente gerando sensações, impactos e imprimindo a sua identidade em tudo e todos à sua volta – lembram daquela expressão: “a primeira impressão é a que fica...”, sem falar depois da primeira impressão... que é o convívio no dia-a-dia!


Eu sempre digo que a mais rica e desafiadora de todas as artes, é “A ARTE DA CONVIVÊNCIA”.


Como então conviver harmoniosamente e feliz com todas as diferenças que nos cercam?


Um passo muito importante para melhoria nos relacionamentos é começar a perceber e respeitar efetivamente a NATUREZA de cada pessoa que está a sua volta, ou seja, o que ela é naturalmente na sua verdade e na sua essência, sem qualquer interferência de “pseudo-obrigações” do mundo externo, e até mesmo das suas interferências tentando convencê-las a ser diferentes com justificativas impróprias.


Como diz meu sábio amigo Roberto Otsu - “goiabeira dá goiaba” – e por que faço esta citação? Porque geralmente estamos querendo que nossas goiabeiras dêem cereja, pêssego, abóbora... “ ah se meu marido gostasse menos de futebol”... “...ah se meu chefe não fosse tão intransigente”... “ah se meus filhos me ouvissem”...


Portanto, o caminho mais rápido e menos desgastante que você tem a percorrer é perceber a peculiaridade na personalidade de cada um, e com isso parar de criar expectativas infundadas em suas relações.


Pare para refletir se grande parte dos desgastes e frustrações nos seus relacionamentos foi conseqüência das expectativas e dúvidas que você gerou em várias situações do seu dia-a-dia, e que muitas vezes não foram correspondidas..., como por exemplo:


EXPECTATIVAS E DÚVIDAS SOCIAIS: ...será que terei a aprovação de todos?...o que eles vão pensar de mim?... acho que não vou gostar das pessoas que lá estarão!...?


EXPECTATIVAS E DÚVIDAS PESSOAIS: ...será que meu parceiro(a) me compreende?... poderei me abrir e me expor emocionalmente?...seu amor será recíproco ao meu?...será que sou o suficiente para meu parceiro(a)?...


EXPECTATIVAS E DÚVIDAS PROFISSIONAIS: ...será que me comportei corretamente na entrevista/reunião?... serei reconhecido neste trabalho?...faz sentido passar a maior parte da minha vida neste emprego?...


Você tem que perceber que na sua vida, todas as situações que experimenta e todas as pessoas que encontra, estão sob medida para ensinar especificamente o que você ainda não tem de sabedoria adquirida.


Você atrai circunstâncias na sua vida que são verdadeiros cenários construídos pela sincronicidade para lhe proporcionar a oportunidade de adquirir um pouco mais de maturidade na sua existência.


Aproveite, reflita e agradeça (principalmente agradeça) o encontro com cada pessoa totalmente diferente de você e que consegue lhe “tirar do sério”...aquela que sabe “apertar os botões que te desequilibram”, pois são estas pessoas que te farão evoluir, elas estão acionando processos precisos dentro de você, para que possa a cada dia ser uma pessoa cada vez melhor e mais completa.


Pobre daquele que não se permite ser incomodado, pois jamais compartilhará a riqueza da troca nos relacionamentos!”